Viva Cariri

1969 / 1970 / 36min / PB/Colorido / 16mm ampliado para 35mm
dirigido por: Geraldo Sarno

Telecine

  • tamanho original do arquivo: 13.31 GB
  • bit rate: 51.56 Mbps
  • imagem: Apple ProRes 422 HQ, 720 × 486, 23.976 fps, 49.26 Mbps
  • som: 24-bit Integer stereo, 48 kHz, 2.30 Mbps

Equipe

  • roteiro e direção: Geraldo Sarno
    produção: Thomaz Farkas
    fotografia: Affonso Beato e Lauro Escorel
    música: Villa Lobos, Gilberto Gil, Pedro Bandeira (Cantador) e Raimundo Silvestre (Cantador)
    mixagem: Carlos de la Riva
    montagem: Geraldo Sarno, Amauri Alves e Rose Lacreta
    apresentação: J. C. Avellar
    narração: Paulo Pontes
    som direto: Sidnei Paiva Lopes
    laboratório de imagem: Kodak, Fotoptica e Rex/Líder
    laboratório de som: Riosom
    diretor de produção: Sergio Muniz
    produtor executivo: Edgardo Pallero

Sinopse

  • Os confrontos e conflitos entre a cidade dos romeiros do Padre Cícero e as tentativas de desenvolvimento da região.

Info

  • A década de 1960 foi marcada ainda pela preocupação de “fundar e consolidar uma linguagem documentária na cinematografia brasileira”, preocupação presente em ViramundoViva Cariri! e Eu carrego um sertão dentro de mim.  Sarno resume este processo criativo num ensaio do final da década de 1970. Diz que “o que um documentário documenta com veracidade é minha maneira de documentar”, é “sua peculiar maneira de reagir às situações e questões concretas que surgem durante a realização” para “liberar a subjetividade e assimilar a invasão inesperada do real”. e conclui que quando isto ocorre o realizador é o primeiro a colher os resultados “com a ampliação de seu espaço interior imagístico”.

    festivais & prêmios

    – Vencedor do Trofeu Candango – Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1970;

    – Vencedor da Margarida de Prata – concedido pela Central Católica de Cinema do Brasil – Brasília, 1970;

    – Vencedor do Office Catholique – Brasília 1970;

    – Vencedor do Venezia Genti – Prêmio Especial Festival Internacional da Película Etnográfica e Sociológica – Veneza, Itália 1972;

    – Vencedor do Trofeu Carmem Santos – melhor produção de curta-metragem no VI Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – Instituto Nacional de Cinema.